SIM São Paulo – O Que Vai Ter?

sim sp

Que bom! Mais um ano desse evento super dinâmico que está atraindo muitos olhares para o mercado da música no Brasil.

A Semana Internacional da Música já se consolidou como um dos eventos mais importantes do cenário na América Latina e a edição de 2019 promete ser outro sucesso. A U4M é parceira do SIM mais uma vez.

logo sim sp

O Que Vai Rolar?

Show! Muitos shows, showcases, palestras, encontros, debates e por aí vai.

Quando Vai Rolar?

São 5 dias de muito conteúdo e networking. De 4 a 8 de Dezembro.

Como Participar?

A venda da pulseira (Pro-Badge) é o caminho. Ela está a venda no site: https://www.simsaopaulo.com.br/ alunos e professores de instituições afiliadas tem desconto de 50% no ato da aquisição. O que é o caso da U4M!

Quer participar? Acesse o site do evento e efetue a compra, ao finalizar utilize o código promocional, disponível no mural das unidades da U4M Escola de Música.

Curso de Teclado

aula de teclado

Além das teclas uma infinidade de timbres, efeitos e programações.

As aulas de teclado irão te preparar para que você toque o repertório que gosta e entenda as funcionalidades do instrumento.

Sobre as aulas de teclado

As aulas são individuais, semanais e com cinquenta minutos de duração cada.

Você pode agendar uma aula cortesia, durante esta aula o professor irá compreender seu objetivo, mostrar na prática como os temas são abordados e iniciar a construção do planejamento de aulas.

Para quem é indicado o curso de teclado?

Este é um curso indicado para qualquer pessoa em qualquer nível, desde iniciante, que apresente interesse por teclado ou pela aprendizagem musical.

Por ser um instrumento no qual é possível trabalhar melodia e harmonia, fornece ao estudante bases sólidas de conhecimento musical.

Qual idade é boa para aprender a tocar teclado?

Atendemos alunos desde os 5 anos. Não existe idade limite para iniciar o instrumento.

Adultos e crianças apresentam melhorias significativas em diversos campos como: sociabilização, desenvolvimento cognitivo, diminuição de stress, maior velocidade de raciocínio.

Sobre o Curso de Guitarra

Curso de Guitarra

Curso de Guitarra

Os encantos das seis cordas fazem do curso de guitarra um dos mais procurados entre os estudantes de música.

Atendemos desde iniciantes, que serão guiados através dos primeiros passos com o instrumento, até guitarristas em fase avançada que poderão aprimorar suas técnicas e repertório.

Como funciona o curso de guitarra

Os professores de guitarra trabalham em cima do seu objetivo, seja ele aprimorar técnicas para seguir carreira musical ou vivenciar um hobby, aprendendo músicas para tocar com amigos. Norteados pelo seu objetivo iremos elaborar um plano de trabalho claro e preciso baseado em nossos treze anos de experiência ensinando guitarristas de todo o Brasil.

Além das técnicas para guitarra, o aluno também terá conhecimento e prática com pedais de efeito e amplificadores, fundamentais para timbrar o instrumento.

Sobre as aulas de guitarra

As aulas são individuais, semanais e com cinquenta minutos de duração.

Tempo este suficiente para o professor passar conteúdo, praticar e destinar ao aluno as atividades semanais recomendadas.

Principais dúvidas

É necessário ter o instrumento?

Quando existe a dúvida em qual curso ingressar orientamos que o aluno faça aulas com professores multi-instrumentista que a Usina Música oferece. Desta forma o aluno poderá conhecer melhor alguns instrumentos antes de adquirir e iniciar em um específico.

É preciso levar o instrumento para aula?

Não. A escola oferece diversas guitarras para as aulas. No entanto, se for de preferência do aluno fazer aula com seu próprio instrumento, ele será bem vindo durante a aula.

Qual idade é boa para começar a aula de guitarra?

Atendemos alunos desde os 5 anos. Não existe idade limite para iniciar o instrumento.

Crianças aprendem música mais facilmente?

Há mais de uma década ensinando pessoas de todas as faixas etárias, entendemos que o fator de maior influência na aprendizagem musical é a dedicação.

Adultos que iniciam os estudos, se estiverem motivados, apresentam resultados surpreendentes.

As crianças expostas a aprendizagem musical apresentam segundo estudos sólidos benefícios que vão além de aprender a tocar ou cantar, elas demonstram maiores habilidades cognitivas que englobam facilidade de sociabilização, maior compreensão lógica, desenvolvimento fino da coordenação motora e mais

Aprender Música Desenvolve Tipos Diferentes de Conhecimentos

musica e inteligencia

Aprender Música Desenvolve Tipos Diferentes de Conhecimentos

Estudantes de Música Têm Vantagens Profissionais em Todas as Áreas.

CÉREBRO X APRENDIZAGEM

Cultura e biologia, de forma praticamente inseparável, nos faz seres humanos.

A plasticidade de nosso cérebro permite que ele se construa por praticamente toda a vida, já que a aprendizagem e o desenvolvimento humano são inseparáveis.

O cérebro depende essencialmente de informação, recebida por transformação dos impulsos gerados pelos sentidos (audição, visão, tato, olfato e paladar) em sinais elétricos. O cérebro processa os sinais elétricos, decide, e entrega ação/movimento ao corpo.

EMOÇÃO INFLUENCIANDO O CONHECIMENTO

No campo da emoção, uma das fronteiras do conhecimento relativa à mente humana, temos aprendido coisas importantes a respeito do assunto e uma delas diz respeito ao fato de que a cognição, o processo humano de aprender, é gerenciada pela emoção.

ASSUNTO INTERESSANTE = APRENDER MELHOR

Quando estamos conectados e engajados em um determinado contexto que nos interessa, disparamos nossa atenção e estimulamos nossos processos cognitivos produzindo conhecimento. Nesse sentido após desperto o interesse em aprender música, é necessário o entendimento de qual metodologia educacional está mais adequada às expectativas do estudante.

TIPOS DE CONHECIMENTO (TEORIA X PRÁTICA)

O conhecimento, conforme situa a ciência da Engenharia e Gestão do Conhecimento, pode ser entendido como de natureza tácita e explícita. O Conhecimento Tácito está diretamente relacionado ao desenvolvimento de competências (capacidade de fazer escolhas e tomar decisões) e habilidades humanas (capacidade de intervir no meio) e o Conhecimento Explícito se situa na produção, armazenamento e veiculação de informações por mídia.

Enquanto o conhecimento explícito torna possível veicular informações por diferentes mídias (oral, escrita, imagética e outras), como por exemplo o registro de uma partitura musical, o conhecimento tácito para ser desenvolvido depende da ação direta da pessoa na resolução de um desafio que enfrenta, já que não é possível transferir diretamente competências e habilidades de uma pessoa a outra.

Exemplo de um estudante de música…

Se alguém diante de uma partitura sabe decodificar (‘ler’) os signos registrados, para executá-la é preciso algo mais: trazer o instrumento para junto do corpo, fazer escolhas, tomar decisões e ser capaz de produzir os sons previstos no pentagrama. O primeiro ato se refere ao conhecimento explícito e o segundo ao tácito.

POR ISSO, APRENDER MÚSICA AJUDA TANTO

O estudo teórico (explícito) e prático (tácito) de um instrumento musical proporciona desenvolvimento de competências e habilidades pessoais e a capacidade de decodificar signos, aguçando a inteligência em sua característica central de resolver problemas. Estas ações, intimamente ligadas às emoções, aprimoram a sensibilidade, promovem a criatividade e ampliam o horizonte de percepções a respeito da realidade subjetiva (interna) e objetiva (externa) de uma pessoa, portanto propiciam aprendizagem e desenvolvimento humano.

MÚSICA AJUDA PROFISSIONAIS DE QUALQUER ÁREA

É relevante saber que empresas de vanguarda, que dependem de alta inteligência para atuarem em mercados cada vez mais competitivos, procuram nos candidatos em estágios de seleção profissional características subjetivas que os diferenciem dos demais, e não unicamente os conhecimentos explícitos que tenham a respeito de sua área de formação acadêmica ou técnica. Neste âmbito, estudar e praticar música se constitui em um extraordinário diferencial competitivo para uma pessoa, já que contribui para o desenvolvimento de sua sensibilidade, na percepção de situações mais complexas e na proposição de soluções em contextos novos e desafiadores.

CONCLUSÃO
Como podemos ver, ao estudar música e aprender a tocar um instrumento musical uma pessoa estará experimentando emoção, aprimorando a sensibilidade e produzindo autoconhecimento, além de usufruir do prazer indescritível que esta iniciativa pode oferecer.


Cassiano Z de Carvalho Neto

Autor: Cassiano Zeferino de Carvalho Neto é fundador e Chairman do Instituto para a Formação Continuada em Educação (IFCE), Consultor Pedagógico da U4M Music School, e professor-pesquisador doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento (UFSC), com pós-doutorado em Educação Digital pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). É autor do modelo teórico-tecnológico de Educação 4.0. https://4educa.com.br/

Gibson Les Paul – Felipe Muniz que viaja o mundo tocando explica porquê esse é o seu modelo de guitarra preferido.

gibson les paul

O guitarrista Felipe Muniz é um ponto fora da curva. Com uma trajetória séria, além da dedicação à sua carreira solo, ele foi professor da U4M no Brasil, tocou com diversos artistas de renome entre eles: Banda Black in Rio, Graça Cunha, Fernando Rios e il Divo.

Hoje, com residência fixa na Itália ele é destaque nos navios da Royal Caribbean e toca em musicais que encantam quem tem o privilégio de presenciar. Conversamos com o músico que nos contou detalhes sobre a escolha de sua guitarra.

Guitarras atuais: Fender American Stratocaster 1997, PRS Custom 24 e Gibson tradicional R9 Ano 2000

Quanto do “som” de um guitarrista é determinado pelo modelo da guitarra que ele usa?

Acho que quando o guitarrista tem seu próprio som em carreira solo é fundamental o modelo de guitarra que ele usa, o timbre é a impressão digital do músico.

Porém existe casos curiosos, por exemplo, guitarristas como John  Scofield e Carlos Santana extraem sempre um som muito parecido indepentemente da guitarra que estão utilizando. Isso é a mão somada a detalhes na escolha de captadores e tones.

Qual modelo e marca de guitarra você mais utiliza? Quais são as características principais do modelo que você mais usa?

A que mais uso é a minha Gibson Les Paul Tradicional ano 2000.

Ela é muito versátil, se destacando muito nos médios e agudos. Quando necessito um grave com corpo e definido ela é a guitarra adequada, servindo tanto na Funk Music como no Rock mais pesado.

Sobre o formato do seu instrumento mais utilizado, quais vantagens e desvantagens você percebe?

As vantagens é que em bandas com formação de muitos integrantes, onde preciso de mais punch os humbuckers fazem o trabalho perfeitamente.

A desvantagem é que quando preciso de uma som mais dinâmico, que encontro facilmente na strato, fico na mão. Mesmo alterando o volume ou ganho, ela sempre vem com muita força no som.

Single ou Humbucker? Em uma palavra, por que?

Single…sensibilidade.

A escolha da guitarra a ser usada varia se você estiver tocando ao vivo ou gravando?

Sim, e depende principalmente do som que irá ser tocado no momento e do som que necessito para aquele trabalho ou artista específico.

E sobre amplificadores, dependendo da guitarra você mudaria o amplificador que utiliza?

Particularmente não…

Uso geralmente o mesmo amplificador, variando a equalização do amplificador dependo da guitarra, que muitas vezes tem mais ou menos ganho.

Mini Release

Felipe Muniz é musico guitarrista,bacharelado em guitarra pela FAAM.

Iniciou seus estudos na fundação das artes onde descobriu o jazz e a música instrumental,trabalha como sideman com diversos músicos e artistas dentro e fora do Brasil.

Atualmente  Felipe Muniz vive na Itália e trabalha em musicais da Broadway nos navios da Royal Caribbean onde trabalha com artistas de renome pelo mundo inteiro.

Instagram: @felipemuniz

Talk Box

Um pouco da história:

Talk Box é um pedal inventado em 1971 por Bob Heil, da empresa Heil Sound para Joe Walsh tocar “rock mountain way”, mas foi em 1973 que o pedal começa a ganhar fama internacional, sendo usado pelo guitarrista Peter Frampton ficou eternizado no álbum “Frampton Comes Alive” músicas “Do You Feel Like We Do” e “Show Me the Way”, colocaram o pedal no cenário do rock , a partir daí vários artistas utilizaram o pedal, Steve Wonder, Pink Floyd, Guns ‘n roses, Prince, Bon Jovi, Alice in Chains, Weezer entre outros, deixando sua marca na musica popular dos anos 70 até os dias atuais.

Por que usar um Talk Box?

Os pedais de efeitos para guitarra, oferecem diversos benefícios. Entre eles:

  • Diferenciar a guitarra de outros instrumentos
  • Gerar uma identidade sonora para o seu timbre como guitarrista
  • Destacar uma parte específica, valorizando a música
  • Estar preparado para execução de covers
  • Curtir! Um pedal é uma ferramenta que quando agregada ao seu arsenal de equipamentos geralmente motiva o estudo e prática musical!

Se você tem vontade de tocar ao vivo com uma banda, mas não sabe como fazer acontecer, conheça o Show de Alunos que a U4M promove, realizando desde a formação da banda, preparação da música, ensaios até você ir para o palco.

Que pedal é o Talk Box?

O Talk Box é, na verdade, um alto-falante dentro de uma caixa, nele é direcionado o som da guitarra ou do teclado, passando pelo tubo, e este deve ser direcionado para a boca, de onde o som será modulado, como uma espécie de filtro e direcionado ao microfone, onde será amplificado pelos PAs.

Assista o vídeo de 28 segundos com o Mestre do Talk Box, Peter Frampton

Como ligar o Talk Box?

O Talk Box não é ligado como os pedais convencionais, ele substitui o alto-falante dos amplificadores. Ele é ligado numa espécie de looping na saída do cabeçote dos amplificadores, para a entrada “From Amplifier Output” e o alto-falante deve ser ligado na entrada “To Speaker Enclosure”, fechando o looping. Quando o pedal é acionado o alto-falante do amplificador é mutado e o cabeçote é direcionado para o alto-falante do Talk Box, por ele ser um alto-falante de pouca potência, o som que está vindo do cano deve ser amplificado por um microfone, que por sua vez sairá nos PAs.

talk box como ligar

Conheça algumas Marcas e Modelos Famosos de Talk Box:

  • MXR M222. Talk Box Pedal. ..
  • Antares ARTICULATOR Evo Digital Talk Box Plug-in. …
  • TC-Helicon Talkbox Synth. …
  • Rocktron Banshee 2 Amplified Talkbox. …
  • Rocktron Banshee Amplified Talkbox. …
  • Galaxy Audio Check Mate CM-130 SPL Meter. …
  • TC-Helicon VoiceLive 3 Extreme. …
  • Dangerous Music D-BOX+

Músicas Famosas que utilizam o Talk Box

Banda Música
Aerosmith (Joe Perry) Sweet Emotion
Alice in Chains (Jerry Cantrell) “Man in the Box”, “Rotten Apple”
Bon Jovi “Living on a prayer”
Dream Theater (John Petrucci) “Lines In The Sand”, (Live In Bucharest, 2002)
Foo Fighters (Dave Grohl) “Generator”
Peter Frampton “Do You Feel Like We Do”, “Show Me the Way”, “Black Hole Sun
Guns n’Roses, Slash’s Snakepit e Velvet Revolver (Slash) “Rocket Queen”, “Anything Goes”, “Dust N’ Bones”, “Hair of The Dog”(Guns n’ Roses), “Lower”(Slash’s Snakepit), “Get out the Door” (Velvet Revolver), “Carolina” (Slash)
Kid Rock “I Am the Bullgod (Talkbox Version)”, “Only God Knows Why”
Nickelback “Breathe”, “Woke Up this Morning”
Motley Crue (Mick Mars) “Kickstart My Heart”
Pink Floyd (David Gilmour) “Keep Talking”, “Pigs (Three Different Ones)
Queen (Brian May) “Delilah”
Rage Against the Machine (Tom Morello) Wake Up“, “Guerrilla Radio“, “Calm Like A Bomb
Scorpions (Matthias Jabs) “The Zoo”,”Money And Fame”, “To Be Number One”, “Can You Feel It”, “Cause I Love You”, “Raised on Rock”
Weezer (Rivers Cuomo) “Beverly Hills”
Metallica (Kirk Hammett) “The House Jack Built”

melhor escola de guitarra são paulo
CLIQUE AQUI!

Pé no botão, mão nas cordas e bom som!

Autor: Professor Rodrigo Gentili

Instrumentos de Teclas – 5 que Entraram para a História

instrumentos de teclas

Como sabemos, os instrumentos musicais são agrupados em famílias que se caracterizam por meio da forma  de produção do som. São elas: família das cordas, sopros e percussão, todas  com muita diversidade de timbres.

  Já os instrumentos de teclado constituem um caso à parte, eles possuem características muito diferentes entre si mas têm em comum a utilização das teclas como parte do mecanismo. Vamos conhecer os principais instrumentos de teclado e entender suas particularidades.

ORGÃO

A origem do órgão é de cerca de três séculos antes de Cristo e a própria palavra órgão, significa “instrumento”.  Ele é considerado o instrumento musical por excelência, majestoso e imponente, possuidor de todas as notas do sistema musical. Apesar de ter registros de sua utilização muito antes, apenas no século XVI é que foram adicionados os pedais (pedaleira), o teclado duplo e os registros. Antes dessas modificações ele era de pequeno porte e provido de um  fole acionado com as mãos. É um instrumento muito relacionado à música sacra e seu funcionamento é basicamente através dos tubos de metal que recebem o ar produzido por foles.

Ouça: J. S. Bach – Tocata e Fuga em ré menor, BWV 565

CLAVICÓRDIO E CRAVO

Ambos reinaram absolutos até a segunda metade do século XVIII, quando o piano surgiu. São considerados os antepassados do piano moderno e além do timbre a  principal diferença está na forma de como o som é produzido. Vejamos: 

O clavicórdio soava quando  suas cordas eram percutidas por lâminas de latão acopladas ao teclado. O executante tinha a possibilidade de controlar a intensidade dos sons. Já o cravo, também conhecido como clavecino ou clavicêmbalo, soava mais forte que o clavicórdio mais sem a mesma possibilidade de dinâmica, já que as cordas eram pinçadas gerando um som bem característico.

Ouça: 

D. Scarlatti – Sonata em Ré Menor L413 – K9

PIANO

Em meados do século XVIII, um italiano com o nome de Bartolomeo Cristofori criou um instrumento de teclado que se diferenciava de todos os demais. Ele era capaz de produzir sons pianos (suave) e sons fortes e da junção dessas duas palavras surgiu o nome do instrumento: pianoforte.  Através de um complexo mecanismo, o teclado ativa os martelos que percutem as cordas, permitindo assim, ao intérprete, total controle sobre o som produzido. 

O piano moderno possui  88 teclas, em alguns modelos são 85 e podem ser de armário ou de cauda. É um instrumento muito versátil e o mais popular representante da família dos teclados, sendo que ele também pode ser incorporado à família das cordas percutidas, porque é desse modo que sem som é produzido.

Fazer aula de música deixa as crianças mais inteligentes?

Ouça: F. Chopin – Estudo Revolucionário Op 10 nº2

TECLADO

Os teclados eletrônicos podem ser classificados em algumas categorias: sintetizadores, controladores, arranjadores e workstations, cada qual com suas especificidades. Possuem menos teclas e elas são mais leves em comparação ao piano. Eles podem reproduzir o som de qualquer outro instrumento e é indispensável na música pop. O precursor desses instrumentos é o Moog, que teve sua criação na década de 1960, desde então várias foram as mudanças afim de buscar o aperfeiçoamento do instrumento. Atualmente, há uma infinidade de preços e marcas que atendem os mais diversos músicos e estilos, tudo com muita tecnologia e recursos. 

Há ainda outros instrumentos de teclado como o acordeon, a concertina, o bandeneon e a escaleta. Escute, compare e pesquise cada um deles, você verá o quão mágico é esse assunto.

Conheça detalhes sobre estudar piano e teclado

Autora: Sheyla Costa – pianista, professora e compositora

@costapereirasheyla

HOME STUDIO – 5 Itens Fundamentais (o 4 não tem como evitar!)

Home Studio - O que não pode faltar

É possível montar um estúdio em seu próprio apartamento/casa?
Isso pode soar como absurdo e caro, mas na realidade a tecnologia tem tornado mais acessível e possível realizar esse sonho de muitos músicos, compositores ou simplesmente simpatizantes da música.
O que preciso para começar a gravar?
Independentemente do instrumento que você toca, existem alguns equipamentos padrões para que você possa operar um pequeno estúdio em sua casa. Vamos fazer uma breve lista desses equipamentos:

  • Interface de áudio
  • Microfone Condensador
  • Fone de ouvido/Monitores
  • Software

Agora vamos entender para que eles servem

1 – Interface de áudio

O que é?
A Interface ou simplesmente “placa de som” é um equipamento externo ao seu computador, que fará todo o processamento do áudio gravado e transferirá esse áudio para o Software.
O que ligar na interface?
É na interface que os instrumentos e/ou microfones serão ligados. Existem tamanhos diferentes de interface, a maioria opera via cabo USB que será ligado ao seu notebook/computador.
Sobre as entradas
As mais acessíveis costumam ter um mínimo de duas entradas e duas saídas, essas entradas são chamadas “combo”, aceitam cabos de instrumento (P10) ou cabos de microfone (XLR).

Falando em conectar, vamos aos fundamentais microfones…

2 – Microfone Condensador

qual microfone é bom pra gravar em casa

Para o que é indicado?
Este microfone é muito indicado para gravação de voz, violão, instrumentos de sopro, instrumentos de percussão, e muitas outras aplicações.
Sobre o condenser
Mesmo que você não seja vocalista é indicado que invista em um microfone “condenser”, existem opções bem baratas no mercado, esse tipo de microfone te oferece um nível de detalhes mais interessante na hora de gravar, são microfones mais sensíveis e, portanto, indicados para uso em estúdios profissionais e home studios.

Ouvir bem é nada menos que NECESSÁRIO! Veja as dicas…

3 – Fone de ouvido/Monitores

fone de ouvido pra home studio

Qual a importância?
Certamente, para garantir que sua música está sendo bem gravada, é necessário “monitorar” sua gravação, ou seja, ouvir e acompanhar em detalhes tudo que foi ou está sendo gravado em sua Interface.
Posso usar meu fone do celular?
É muito útil investir em um headphone de qualidade, se tiver a opção, é interessante também comprar um par de monitores de áudio, que nada mais são que caixas de som amplificadas planejadas para uma audição crítica e de qualidade.
Ligando
Tanto o headphone quanto os monitores de áudio serão ligados nas “saídas” da sua Interface.

O próximo ponto gera muuuuitas dúvidas, vamos lá…

4 – Software

software pra gravar som youtube

O que é DAW?
Para conseguir realizar uma gravação, é necessário que seu computador ou notebook tenha instalado uma DAW (Digital Audio Workstation), ou seja, um programa dedicado à gravação.
Escolhendo seu software
Existem muitas opções, algumas gratuitas como o Reaper, outras pagas como o Pro Tools e Cubase. Cada um desses programas opera de uma forma.
Não deixe de pesquisar
Existe um vasto material na internet disponível para que você aprenda o básico da operação de cada DAW para conseguir gravar em casa!

Não adianta colocar os equipamentos em qualquer lugar, não deixe de ler…

5 DICAS PARA MELHORAR SEUS ESTUDOS MUSICAIS

5 – ESCOLHENDO O LOCAL E TRATAMENTO ACÚSTICO

1 Encontre o lugar ideal
Um passo muito importante é escolher bem qual cômodo de sua casa será utilizado como seu Home Studio, alguns cômodos como quartos ou escritórios tendem a ter uma acústica natural interessante para gravações.
2 Evite lugares com reverberação
A ideia geral é que as salas com muitas paredes “lisas”, sem tapetes, armários ou estantes, acabam reverberando em excesso e deixando sua gravação “suja” e sem definição. Estas salas também atrapalham a sua audição via monitores e podem confundir os ouvidos!
Se você puder optar por um cômodo com tapetes, sofás, camas, estantes, armários, terá um ambiente mais controlado, especialmente paredes ou móveis de madeira.
3 Materiais apropriados
As espumas acústicas podem ajudar um pouco a tratar paredes lisas e quebrar um pouco da reverberação. Lembre-se, a ideia aqui é criar um ambiente onde o som possa viajar de forma irregular e se deparar com diversos tipos de barreiras como tapetes, madeiras, pedras, espumas, etc. Portanto, não é interessante encher seu quarto de espuma acústica, isso tornará o som morto e não ajudará no isolamento da sala.

Pra poder fazer barulho sem a polícia ser acionada…

Isolamento e Tratamento Acústico

planejamento

Vale ressaltar que estas são soluções para um estúdio em casa, sem um projeto e planejamento acústico adequado, importante se ter noção de que “isolamento” é diferente de “tratamento” acústico.

Esse vídeo com muitas dicas também pode te ajudar…

Aqui estamos tratando apenas do tratamento, o isolamento é feito por paredes e portas duplas, com mais critérios e dispendendo mais recursos, se você tiver condições, pode contratar um profissional para planejar sua sala adequadamente. Entretanto, a falta de isolamento ou tratamento realizado por um profissional não impede que você faça gravações extremamente profissionais em um ambiente com as características acima, muitos artistas independentes e bandas já gravaram discos de sucesso em ambientes caseiros! Não se esqueça, o que vale é sua criatividade e sua dedicação à sua arte!


Vitor Pavan é guitarrista e produtor musical com vasta experiência em palcos e gravações. Professor há 10 anos.  @vitorfpavan

Escolas de Música, Conservatórios, Faculdades de Música e Professores Particulares

Escola de Música São Paulo

Qual é a melhor escola de música de São Paulo?

Qual é o melhor curso de música para mim?

Escolas de música perto da minha casa são boas?

Como escolher o professor de música?

Ao longo de nossa jornada como escola de música, nos deparamos frequentemente com essas dúvidas. Vamos  ao longo desse artigo direto ao ponto para te ajudar a entender alguns dados importantes.

Não se preocupe, pois não estamos escrevendo isso para vender o nosso peixe. Nossas unidades das escolas de música estão situadas em bairros específicos – Escola de Música em MirandópolisEscola de Música no Aeroporto – e os pontos aqui levantados tem o objetivo de ajudar pessoas por todo o Brasil.

Esclarecimentos feitos, vamos ao que interessa…

O ensino musical teve origens distintas. Com o passar dos anos, diferentes culturas trataram de formas diferentes a transmição do conhecimento.

Naturalmente alguns formatos tiveram maior destaque em determinadas regiões e foram entendidos como, forma “correta”. 

Muitas das preocupações que um futuro estudante de música tem nos dias de hoje, têm suas raizes na formação do músico erudito e atualmente muitos desses paradigmas já foram destruídos.

Ainda assim, diferentes formatos de instituições de ensino musical podem ser encontrados com facilidade.

Nesse momento é necessário ter entendimento de quais atributos avaliar para fazer uma escolha adequada.

Veja abaixo as maneiras mais procuradas para aprender música…

Faculdade de Música

Aqui não existe muita dúvida. As faculdades de música, seja com graduação em instrumentos populares ou canto erudito por exemplo, tem como objetivo formar um profissional da música.

O curso tradicional tem 4 anos. Apesar de o vestibular apresentar questões teóricas e práticas, (às vezes gerando confusão – por que alguém que está iniciando a faculdade deveria já saber temas aprofundados de música?) – a concorrência para o ingresso é baixa.

Ter nível superior em música não é exigência para atuar profissionalmente no meio musical. Muitos músicos com agenda lotada de shows, ou de alunos, não possuem a graduação. No entanto, é evidente que em diversos casos o título beneficia o portador.

professores de musica Vila Mariana

Faculdade de Música por Hobby

Existe sim uma parcela de estudantes universitários que optam por fazer graduação em música mesmo não sendo a música o objeto final de sua atuação no mercado.

Esse perfil de estudante busca esse tipo de curso para adquirir um aprofundamento maior em algumas áreas de estudo, como harmonia e contraponto por exemplo.

Conservatório Musical

Você já deve ter ouvido falar no famoso Conservatório de Tatuí. Muitos conservatórios adquiriram renome  e acabaram ficando famosos por oferecerem um ensino mais tradicional. Normalmente buscam por conservatórios os estudantes que possuem maior direcionamento para seguir profissionalmente como músico.

Os conservatórios acabaram também criando formatos tradicionais de ensino, o que confunde algumas pessoas na hora de iniciar seus estudos em música.

Para facilitar a exemplificação, considere que uma criança demonstre altíssimo interesse em ser um jogador profissional de futebol e seus pais a apoiem e tenham condições de eleger uma escola para o desenvolvimento do futuro atleta. 

É comum que em um caso como o citado, essa criança acabe em uma escola com certa tradição em formar jogadores profissionais. Os grandes clubes inclusive oferecem opções de escolas licenciadas para peneirar e treinar esses jogadores.

E só por diversão?

Por outro lado, considere uma criança que quer apenas jogar uma bola. Se divertir com os amigos. Uma partida de uma hora no clube ou na quadra perto de casa já seria adequada para lidar com essa necessidade e ao mesmo tempo oferecer os benefícios evidentes da prática esportiva.

Muito bem, o conservatório ou as escolas tradicionais de música, em São Paulo ou qualquer outra cidade tem relação semelhante à escola de futebol citada no primeiro caso.

conservatorio de musica

Professor Particular de Música 

Profissionais e não profissionais de música também são opções facilmente encontradas e podem atender demandas específicas como por exemplo casos extremos onde o aluno não pode ser levado a uma escola.

Essa facilidade logistica acaba sendo fator importante para viabilizar a prática musical.

No caso da opção por um professor particular, a vantagem de ter um ensino personalizado também deve ser levada em consideração. É comum que o professor particular desenvolva um ensino voltado às necessidades específicas do aluno em questão.

Não acontece com todos, mas é bem comum…

Os problemas relacionados a este formato geralmente são: falta de pontualidade do professor e aluno, falta de regularidade nos dias e horários das aulas, falta de mediação para relações administrativas como pagamento e reposição de aulas. O que pode gerar alguns conflitos.

Ao escolher um professor particular questões como: dia do pagamento, ações em caso de impossibilidade de efetuar aulas e calendário anual incluindo férias tem que estar bem claras. 

Geralmente o professor que apenas se dedica a alunos particulares tem uma sazonalidade muito grande em meses como Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Julho.  Essa diferença substancial nos rendimentos nesses meses deve ser planejada com cuidado. O comum é que as aulas não realizadas no período de férias sejam repostas em outras datas. Mas esse tem que ser um acordo mútuo aluno/professor.

E pra tocar ao vivo??

Outro ponto que deve ser levado em consideração são as apresentações. Em aulas com professores particulares de música, geralmente os alunos têm poucas oportunidades para se relacionarem com outros estudantes de música e também tocar ao vivo. Desta forma, para obter um desenvolvimento musical mais holístico a sugestão é que o aluno, por conta própria, forme uma banda e realize ensaios em estúdios.

Especialmente para crianças a prática musical coletiva possui vários benefícios comprovados.

aula de guitarra para crianças

 

Na foto o aluno de guitarra da U4M – Gustavo Fofano

Professor de Música via Skype

Muito do exposto acima enquadra-se nesse formato. Existem muitos professores de canto online, professores de violão online, professores de guitarra online etc.

Seja utilizando o Skype para as aulas de música ou outras plataformas como o WhatsApp ou o Youtube, esse formato tem seus adeptos.

Optar por esse modelo de cursos não presencial implica em o aluno já ter tido previa experiência com EAD.

Ainda não dá pra fugir disso…

Questões como, tocar ao mesmo tempo uma música, ainda são difíceis de serem realizadas. Também não é fácil que o professor possa observar e avaliar com atenção detalhes de movimentação e postura corporal, ambos diretamente relacionas com uma boa prática musical.

As vantagens do formato são que mesmo em cidades com poucas ofertas de escolas de música e professores particulares, alunos de cidades mais remotas, podem estudar inclusive com profissionais renomados.

Quando o aluno já possuí experiencia na pratica musical, aderir a aulas online torna-se muito mais fácil e produtivo.

Agora as famosas…

Escolas de Música – Curso Livre

As escolas de bairro geralmente possuem esse formato, no entanto muitos fatores podem variar.

Você já se deparou com diversas publicações como essas:

Curso de Canto, Aulas de Canto, Curso de Violão, Aulas de Violão na Vila Mariana, Aulas de Canto em Moema, Curso de Violão no Campo Belo, Aulas de Piano na Zona Sul, Curso de Piano na Praça da Árvore, Curso de Saxofone Aeroporto etc

É muito comum que as escolas livres de música tenham seu próprio material de ensino. Geralmente apostilas com um cronograma de estudos e músicas a serem ensinadas.

Ao optar por esse formato “apostilado” é importante que o aluno conheça o material da escola e esteja de acordo a ir por esse caminho.

Muitos alunos sentem-se desanimados ao tocar ou cantar músicas que não gostam. Por isso é necessário disciplina para enfrentar esses momentos desanimadores.

Algumas escolas de música oferecem um abordagem mais personalizada, na qual o aluno tem autonomia para escolher musicas e alguns caminhos de ensino.

Por exemplo, semanas antes de uma apresentação o foco é voltado para a prática em banda, em outros momentos as aulas podem ter caráter de desenvolvimento de técnicas específicas do instrumento. Tudo dependendo do momento no qual o aluno se encontra.

https://youtu.be/vbZoRRExYBk
Alunos da U4M Music School em ensaio para o Show de Alunos

Apresentamos alguns caminhos para que você faça uma boa escolha antes de iniciar seus estudos musicais, fique a vontade para comentar ou perguntar.

Quer conhecer um pouco dos nossos professores?

Valeu e até mais!

 

5 Dicas Para Planejar Seus Estudos Musicais

como organizar os estudios musicais

1 FAÇA UMA PLANILHA DE ESTUDOS

Planilhas são muito eficientes quando o assunto é organização! Elas nos ajudam a verificar nossos horários disponíveis e a definir os assuntos a serem estudados durante a semana.

As planilhas podem ser feitas de diversas formas, a mais usual é criando uma tabela (Pode ser feita à mão ou pelo Excel) contendo uma coluna com os dias da semana e outra com os horários. Agora é só ir organizando suas tarefas na tabela e começar seu planejamento de estudos!

2 DEFINIR HORÁRIOS LIVRES PARA ESTUDO

Definir horários livres de estudo ajuda muito a criar uma rotina e a manter os estudos firmes!

DICA: É melhor dividir seus estudos em vários dias, em pequenos períodos de tempo do que deixar para realizar tudo de uma só vez em um período longo de horas! Ficar muito tempo em uma mesma tarefa além de ser cansativo não permite que o cérebro tenha tempo para absorver todo o conteúdo estudado! Ou seja, você se cansa mais e absorve menos informação.

3 DIVIDIR OS ASSUNTOS MUSICAIS A SEREM ESTUDADOS

Dividir os assuntos ajuda a melhorar a organização e a dinâmica dos estudos! Por exemplo, se você estuda canto, pode dividir os estudos de respiração em um horário e técnica vocal em outro. Se for um aluno de piano, pode separar um horário da semana para estudar teoria musical e outro horário para estudar exercícios de piano. São diversas possibilidades!

4 SE PREPARE PARA IMPREVISTOS

Manter horários de estudo fixos são ótimos em um mundo ideal sem imprevistos não é mesmo? Mas acredito que esse não seja o seu caso, então apesar de definir seus horários livres para estudo, é importante definir um plano B caso ocorra algum imprevisto e você não consiga estudar o que tinha planejado. Manter horários “coringas” em que você poderia deixar de assistir sua série favorita ou tirar aquela soneca da tarde podem ser ótimos para repor estudos atrasados! Mas devem ser usados apenas em casos de imprevisto! Caso contrário você vai acabar sempre atrasando os estudos ou até desistindo de estudar.

5 TENHA UM PERÍODO DE DESCANSO

É muito importante que você tenha alguns momentos de descanso entre os estudos! Uma pausa de 10 minutos entre um conteúdo e outro para tomar aquele cafezinho pode te ajudar a processar melhor o que estudou e a se manter focado para continuar estudando!

Espero que essas dicas ajude a manter seus estudos musicais firmes e organizados!

Autora: Professora Stephanie Balek