Gibson Les Paul – Felipe Muniz que viaja o mundo tocando explica porquê esse é o seu modelo de guitarra preferido.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

O guitarrista Felipe Muniz é um ponto fora da curva. Com uma trajetória séria, além da dedicação à sua carreira solo, ele foi professor da U4M no Brasil, tocou com diversos artistas de renome entre eles: Banda Black in Rio, Graça Cunha, Fernando Rios e il Divo.

Hoje, com residência fixa na Itália ele é destaque nos navios da Royal Caribbean e toca em musicais que encantam quem tem o privilégio de presenciar. Conversamos com o músico que nos contou detalhes sobre a escolha de sua guitarra.

Guitarras atuais: Fender American Stratocaster 1997, PRS Custom 24 e Gibson tradicional R9 Ano 2000

Quanto do “som” de um guitarrista é determinado pelo modelo da guitarra que ele usa?

Acho que quando o guitarrista tem seu próprio som em carreira solo é fundamental o modelo de guitarra que ele usa, o timbre é a impressão digital do músico.

Porém existe casos curiosos, por exemplo, guitarristas como John  Scofield e Carlos Santana extraem sempre um som muito parecido indepentemente da guitarra que estão utilizando. Isso é a mão somada a detalhes na escolha de captadores e tones.

Qual modelo e marca de guitarra você mais utiliza? Quais são as características principais do modelo que você mais usa?

A que mais uso é a minha Gibson Les Paul Tradicional ano 2000.

Ela é muito versátil, se destacando muito nos médios e agudos. Quando necessito um grave com corpo e definido ela é a guitarra adequada, servindo tanto na Funk Music como no Rock mais pesado.

Sobre o formato do seu instrumento mais utilizado, quais vantagens e desvantagens você percebe?

As vantagens é que em bandas com formação de muitos integrantes, onde preciso de mais punch os humbuckers fazem o trabalho perfeitamente.

A desvantagem é que quando preciso de uma som mais dinâmico, que encontro facilmente na strato, fico na mão. Mesmo alterando o volume ou ganho, ela sempre vem com muita força no som.

Single ou Humbucker? Em uma palavra, por que?

Single…sensibilidade.

A escolha da guitarra a ser usada varia se você estiver tocando ao vivo ou gravando?

Sim, e depende principalmente do som que irá ser tocado no momento e do som que necessito para aquele trabalho ou artista específico.

E sobre amplificadores, dependendo da guitarra você mudaria o amplificador que utiliza?

Particularmente não…

Uso geralmente o mesmo amplificador, variando a equalização do amplificador dependo da guitarra, que muitas vezes tem mais ou menos ganho.

Mini Release

Felipe Muniz é musico guitarrista,bacharelado em guitarra pela FAAM.

Iniciou seus estudos na fundação das artes onde descobriu o jazz e a música instrumental,trabalha como sideman com diversos músicos e artistas dentro e fora do Brasil.

Atualmente  Felipe Muniz vive na Itália e trabalha em musicais da Broadway nos navios da Royal Caribbean onde trabalha com artistas de renome pelo mundo inteiro.

Instagram: @felipemuniz

More to explorer

sim sp

SIM São Paulo – O Que Vai Ter?

Que bom! Mais um ano desse evento super dinâmico que está atraindo muitos olhares para o mercado da música no Brasil. A

curso de canto

Curso de Canto

Motivos para aprender canto Possuir maior segurança para falar em público (nestes casos podemos proporcionar experiências gradativas de interação ao vivo). Cantar

Uma resposta para “Gibson Les Paul – Felipe Muniz que viaja o mundo tocando explica porquê esse é o seu modelo de guitarra preferido.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp
Enviar