Como Montar Uma Escola de Música Lucrativa

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

O negócio da música não é brincadeira. Além de ter o amor por essa arte o empreendedor precisa dedicar muito tempo na construção de um ambiente organizado e funcional.

Muitas escolas iniciam as atividades e encerram em poucos anos. A sustentabilidade do negócio é fundamental e a longo prazo exige: estratégia, equipe integrada, dinamismo e inovação.

Conheça nesse artigo algumas questões fundamentais para a viabilização do negócio.

Plano de Negócios

Fundamental na construção de qualquer tipo de negócio. Você pode encontrar na internet modelos completos e gratuitos. É no processo de estruturação do plano de negócios que geralmente o empreendedor se depara com diversos aspectos que não tinha pensado antes.

Ponto Comercial

No caso de um negócio com estabelecimento fisico, a escolha deve considerar alguns importantes aspectos:

  • Quantidade de habitantes na região
  • Quantidade e qualidade de concorrentes ou negócios similares
  • Acessibilidade
  • Questões arquitetônicas e vizinhos para não haver problemas por conta do barulho
  • Adequação do valor do aluguel – O valor teto do aluguel para um modelo funcional de escola de música não poderá ultrapassar 20% do faturamento bruto, considerando a escola com sua capacidade total.

Estrutura Organizacional

Esse é o ponto mais importante e geralmente o mais negligenciado.

É comum que esse tipo de negócio seja concebido e liderado por um músico. Assim, considerando seu ciclo de conhecidos, ele geralmente pensa nos professores, mas, antes dos professores existem outras áreas, também muito importantes que vão demandar habilidades específicas e muita dedicação. Vamos a elas!

Financeiro – A pessoa responsável por essa área terá atividades diárias de fechamento de caixa, cobranças de alunos, negociações, planilhas comparativas para análise, isso só pra começar.

Em alguns casos o setor financeiro (como muitos outros) é uma responsabilidade que acaba somada às atividades do próprio dono do negócio. Se for esse o seu caso, muito cuidado. A regra número 1 é separar as finanças da empresa das contas pessoais.

Escolher um bom escritório de contabilidade vai facilitar as coisas. Não se engane, sua empresa vai precisar de CNPJ, alvará de funcionamento, contrato com alunos, legalização dos professores, emissão de nota fiscal e pagamento de todos os tributos referentes a isso.

Comercial – Esse setor é responsável por entender o mercado.

Quais cursos são os mais procurados? Esse dado varia sempre, de acordo com cidades, festivais e até reality shows. É um erro considerar que um curso específico tem mais procura.

Preço – Quanto cobrar? Essa questão está relacionada com a percepção da sua marca e as práticas do mercado. As ações promocionais também devem ser planejadas, considerando meses de baixa procura, descontos para familiares etc.

Benchmarking – Quais são os concorrentes? Quais os pontos fortes e fracos deles? Como eles organizam suas estratégias? Quantas pessoas frequentam o site do seu concorrente principal? Quais estratégias eles utilizam para se comunicar com clientes? Monitorar as melhores práticas do mercado pode ser uma fonte de ideias relevante.

Marketing – Geralmente a área de marketing faz parte da área comercial. E aí temos uma lista infinita de possibilidades. Mas não vai dar pra fugir de criar e acompanhar: site, Facebook, email marketing, Instagram, folders, campanhas de divulgação, remarketing, CRM e eventos.

O marketing vai ter que trazer clientes! O novo empreendedor, por diversas questões, costuma ser relutante quando o assunto é comprar mídias (como anúncios no Facebook, por exemplo), mas fato é, toda empresa séria dedica uma parte significativa do seu faturamento para a área de marketing.

No caso de uma empresa nova, ainda sem receita, é preciso reservar um capital para as ações na fase inicial. Quando os recursos começarem a aparecer, você pode partir para um planejamento anual. Não se assuste, muitas empresas empregam a prática de investir 5%, 10%, ou até mais do faturamento bruto em marketing.

Recursos Humanos – Contratar, avaliar, capacitar, estimular, recompensar e demitir.

Montar uma boa equipe exige tempo, paciência e dedicação. Não basta que um professor tenha habilidades específicas para dar aula de canto, por exemplo.

Muitas vezes para ensinar, os alunos preferem um professor mais paciente, divertido e comprometido com horário do que um gênio que não é pontual ou perde a paciência no meio da aula.

Operacional – Fornecedores, checklists, reformas, equipamentos, materiais impressos etc.

Criar padrões, processos e manter a máquina funcionando. Desde imprimir materiais em gráfica, até verificar rotinas de limpeza e cafezinho. O responsável pelo operacional tem que ser muito organizado, ágil e pontual.

Sistema Gerencial – Organizando os Dados

Como em um salão de beleza ou um mercado, atividades repetidas podem ser automatizadas.

Você pode comprar, alugar um sistema ou mesmo utilizar ferramentas gratuitas como o Google Drive.

Será uma facilidade deixar a agenda compartilhada com professores ou o controle de pagamentos compartilhado com um sócio, por exemplo.

Seu cliente poderá ser avisado com antecedência sobre um contrato vencendo, ou até uma promoção especial pode ser enviada para um lead que está quase fechando negócio.

Esse é um dos motivos pelo qual muitos empreendedores optam por fazerem parte de uma rede de franquias. Ao considerar uma rede para fazer parte, conversar com franqueados mais antigos pode ser uma ótima ideia. Muitas marcas abrem muitas unidades por ano, mas fecham em número maior. Analise friamente os dados.

Além de possuir marca consolidada, o empreendedor pode focar mais no dia-a-dia do negócio, uma vez que os sistemas já estão integrados.

Música. Finalmente!

Apesar de um mercado flutuante no Brasil, o segmento da música está em alta, faz alguns anos. Com uma busca rápida no Google você acha dados positivos do setor.

Tendo um negócio bem organizado e com uma equipe dedicada, você poderá vivenciar dias de muita alegria. Escolas de música juntam profissionais e aspirantes. Esse contato diário pode construir um ambiente leve e divertido.

Gostou? Comente e nos diga suas dúvidas!


Autor: André Nicolau é formado em marketing, especialista em eventos, fundador e diretor comercial da U4M Music School. Escola com 15 anos e 3 unidades, 2 em São Paulo e 1 em Madrid. A U4M é referência em inovação e qualidade. @drenicolau

More to explorer

sim sp

SIM São Paulo – O Que Vai Ter?

Que bom! Mais um ano desse evento super dinâmico que está atraindo muitos olhares para o mercado da música no Brasil. A

curso de canto

Curso de Canto

Motivos para aprender canto Possuir maior segurança para falar em público (nestes casos podemos proporcionar experiências gradativas de interação ao vivo). Cantar

curso de piano

Curso de Piano

Não foi a toa que o piano cruzou séculos estando sempre em relevância. As inúmeras possibilidades que oferece cativa entusiastas por todo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp
Enviar